EMERGÊNCIAS RENAIS - Quem somos

ATENÇÃO PARA OS SINTOMAS

É importante lembrar que uma pessoa pode perder até 70% da capacidade funcional dos rins sem qualquer sintoma perceptível. A única evidência mais comum é a necessidade de urinar demasiadas vezes durante a noite. Por isso é fundamental fazer exames periódicos além de pesquisar o histórico familiar em relação a questões renais, bem como a pressão alta e diabetes.

Em casos mais avançados ocorre:
Dificuldade para urinar
Sangue na urina, urina com espuma (presença de proteínas na urina) ou urina muito clara.
Ardência ou dor quando urina
Inchaço (edemas) ao redor dos olhos ou nas pernas
Dor lombar (costas), que não piora com os movimentos
Anemia (palidez, cansaço, dor no peito e sonolência).
Perda do apetite, náuseas, vômitos, cãibras, prurido (coceira), falta de concentração, tremores, insônia ou sonolência.

Há tratamento para as doenças renais?
Claro que sim, principalmente quando há uma detecção precoce. Prevenir sempre é o melhor remédio. Se os rins já estiverem muito doentes pode haver a necessidade de diálise (hemodiálise ou diálise peritonial) ou ainda um transplante. De qualquer forma, a doença pode ser controlada e a pessoa vive normalmente, desde que sob rigorosa vigilância médica e dedicação do paciente.

Além do tratamento específico para cada paciente, é necessária uma dieta balanceada e o uso de diuréticos para tratar a deficiência da filtragem renal, além de antibiótico para tratar infecções do sistema urinário.

Cuidados preventivos:
É sempre bom lembrar: prevenção se faz principalmente pelo controle da pressão arterial, realizando exames periodicamente, controle da glicemia e dosagem da creatinina. Da mesma forma é fundamental fazer dieta balanceada, evitar o sedentarismo, realizando exercícios, e reduzindo o peso e não fumar, são atitudes de bom senso para evitar quaisquer problemas.